6.3.07
fantásticos espaços do círculo: hiperbórea.
Photobucket - Video and Image Hosting
As regiões Hiperbóreas, num mapa de Ruysch, de 1507.


Região de terras aprazíveis e férteis, situada, provavelmente, no norte da Escócia. Altos penhascos, com formas femininas, flanqueiam a entrada dos estreitos que conduzem ao Mar Hiperbóreo. Recomenda-se ao viajante que não chegue a Hiperbórea de noite porque a escuridão é sinónimo de risco de vida, pois destrói os barcos que navegam pelas imediações.
O sol aparece uma vez por ano, a meio do Verão, e só se põe uma única vez, em meados do Inverno. Os habitantes podam de manhã, cultivam ao meio-dia, colhem os frutos das árvores ao pôr-do-sol e recolhem-se aos seus abrigos à noite. Oferecem os primeiros frutos a Apolo. Em Hiperbórea não se conhece a tristeza. Os seus habitantes elegem o momento de morrer e celebram a morte com banquetes e regozijo, depois dos quais põem fim às suas vidas lançando-se ao mar desde o alto de um rochedo.
(Plínio, O Velho, Historia Natural, Séc. I)


in Breve Guía de Lugares Imaginarios, de Alberto Manguel e Gianni Guadalupi, Ed. Gran Bolsillo, Alianza Editorial, 1980, página 256.
 
posted by Eduardo Brito at 17:35 | Permalink |


0 Comments:


eXTReMe Tracker