15.2.07
e então, o silêncio.
O viajante parte à procura de Tule, a última. Segue os ensinamentos de Piteias, colhidos na Biblioteca Histórica de Diodoro Sículo. Das ilhas Orkney, navega seis dias e seis noites para Norte. Passa o Círculo do Urso mas não encontra nem cidade, nem reino. Chega ao fim do mar. À sua frente, a vastidão dos brancos desertos de gelo. Já não há dias e já não há noites. O viajante deixa, então, de sentir o tempo. E exausto, diz praeter solitudinem, nihil video.
 
posted by Eduardo Brito at 17:35 | Permalink |


1 Comments:


At 19 February 2007 at 14:35, Blogger João

Silêncios como as tuas palavras são mais doirados que um lugar ao norte... Obrigado, Sr. Brito!

 
eXTReMe Tracker